Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Letras Aventureiras | Por João e Luís Jesus

De João Jesus e Luís Jesus, nomeados os mais jovens escritores portugueses em 2016.

19
Jun16

"A peixinha e a coisa"🐠

João Jesus e Luís Jesus

No fundo do mar, vivia uma peixinha.

Ela era muito colorida e muito animada. Vivia numa gruta pequenina com o seu marido e os seus não sei quantos filhos. Certo dia, o marido foi para o exército marinho, porque os peixes espada tinham invadido a fronteira. A peixinha e os filhos despediram-se do pai peixe e ele partiu para o exército.

Passou-se muito tempo e a peixinha nunca mais teve noticias do marido. Ficou muito preocupada mas continuou a cuidar dos seus filhos, que estavam cada vez maiores. De repente apareceu um tubarão e comeu os peixinhos todos, mas a peixinha conseguiu esconder-se. Desolada com a perda, a peixinha ficou muito triste por já não ser mamã.

Passaram-se muitos anos e a peixinha continuou sozinha naquela gruta onde vivia. Certo dia, passou por cima da sua casa, um peixe muito atrapalhado. Estava a ser perseguido por um peixe espada. O peixe levava na barbatana esquerda um saco de algas que levava algo lá dentro. O peixe viu a peixinha e nadou muito rápido até ela. O peixe estava muito aleijado e explicou à peixinha que o peixe espada andava atrás dele e se podia tomar conta do que ele trazia no saco. A peixinha aceitou com muita pena e o peixe desapareceu. Nunca mais ouviu noticias dele.

A peixinha começou a  analisar o objeto que estava no saco. Era muito estranho! Parecia uma pedrinha branca, mas muito frágil! Então a peixinha percebeu logo! Era um ovo de peixe! Mas a peixinha não sabia qual era a espécie dele! Nem fazia ideia!

Com muita pena do pequeno ovo, a peixinha resolveu cuidar dele. Ia voltar a ser mamã!

Passaram-se meses e nasceu do ovo, um peixinho muito pequeno, mas muito belo. Era um peixinho dourado! A mãe peixinha ficou muito alegre com o seu trabalho!

O peixinho cresceu muito rápido e foi para a escola dos peixes. Lá só estudavam os peixes coloridos e o peixinho era só de uma cor.

Todos gozaram com ele e o peixinho ficou muito triste. No final do dia, contou a mãe peixinha que ficou muito triste pela tristeza do filho. Então ela decidiu que ia à escola no dia seguinte.

Logo de manhã, a peixinha levou o filho à escola. Escondeu-se num coral perto da sala de aula e ficou à escuta. A peixinha ficou muito triste e zangada com os comentários que ouviu, como: "peixe de lata", "monocromático" e "dourado", que era um comentário muito racista!

Irritada, a peixinha saiu do seu esconderijo e surpreendeu a turma. Ela gritou muito com eles e explicou que isso não se fazia a ninguém. Arrependidos, os peixinhos pediram desculpa ao peixinho dourado.

Aí, a mãe compreendeu que gostava muito do seu menino, mesmo que ele não fosse mesmo dela.

Moral da história:

Não importa a cor nem a raça, o que importa é que todos sejam felizes!

assinatura jj

Mais sobre nós

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

João Jesus

Chamo-me João Jesus. Sou escritor e blogger! Sou português e habito num concelho do distrito de Vila Real! A leitura, a escrita e o filme são as minhas grandes paixões.

letrasaventureiras@sapo.pt

Luís Jesus

Chamo-me Luís Jesus. Sou ilustrador e blogger. Adoro ilustração e tecnologia. Apesar de ser ainda novo, o meu sonho é licenciar-me em engenharia informática e visitar países como a Austrália, Singapura, China e EUA.

letrasaventureiras@sapo.pt

Direitos de Autor

Plágio é CRIME! Não me importo que utilizem os meus textos desde que os identifiquem com o nome pelo qual os escrevo ou o link do blogue. As fotografias que utilizo são retiradas da internet, no entanto, se houver alguma fotografia com direitos de autor: estes não serão esquecidos. Obrigada!

Autora do Banner

DESIGNED BY JOANA ISABEL