Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Letras Aventureiras | Por João e Luís Jesus

De João Jesus e Luís Jesus, nomeados os mais jovens escritores portugueses em 2016.

03
Set16

Resenha do livro "Cal"

João Jesus e Luís Jesus

Olá!

Trouxe desta vez a resenha de um livro que acabei de ler ontem, o livro era de histórias diversas, mas todas muito bonitas, vocabulário simples e escrito da maneira como as pessoas das aldeias dizem. Este livro, retrata muito o assunto da vida depois de idosos e a morte e ainda a solidão.

Estou a falar de "Cal" de José Luís Peixoto. Confesso que foi a primeira vez que li um livro de José Luís Peixoto. Gostei muito da experiência e já tenho outro para ler em casa, "Cemitério de Pianos".Resultado de imagem para cal jose luis peixoto

Não sei muito bem como fazer esta resenha, pois é difícil fazer resenhas de livros com contos.

Gostei muito deste livro. A escrita é simples e fácil de compreender. As histórias são todas muito interessantes e retratam sempre uma cena quotidiana.

A maioria das histórias falam sobre os idosos e a vida difícil que eles têm depois da juventude. Quando ficam sozinhos em casa, fracos e a morte.

Também fala muito de memórias antigas e depois contam o que aconteceu no presente à pessoa retratada na história.

O livro é todo muito envolvente! Comecei a lê-lo na quinta-feira e acabei-o ontem, perto das duas da tarde. :D   Adorei cada história!

Mas tenho mesmo de dizer, que a que mais me fez pensar, foi a história "A Idade das Mãos". Esta história é logo a primeira do livro. Fala de uma idosa, Ana, que vive sozinha com a sua cadela e a sua burra velha.

Ela vive num monte, numa casinha solitária e não tem mais população. Ela não tem nem teve marido. Como era pobrezinha, a mulher divertia-se a cuidar da sua horta, mas como já era velha teve de parar de cuidar dessa horta e esta secou. Como a burra estava velha e de pouco lhe servia, ela resolveu vende-la no mercado de ciganos. Ela vendeu-a, mas ficou muito triste com o seu feito, pois a burra e a cadela sempre a fizeram feliz. Então, a mulher voltou à cidade para recuperar a sua burra. Mas, os ciganos estavam a fazer algo que deixou a pobre velhinha desolada. Eles iam matar a burra por ela ser velha e não poder com nada. Então, Ana agarrou na burra e levou-a de volta para casa.

Quando iam para casa, Ana olhou para a prisão branca e gélida. Lá estavam muitas pessoas inocentes e muitas pessoas culpadas.

Ela lá continuou o caminho para casa com a sua burrinha velha. Ana jurou que nunca mais voltaria à cidade.

Um dia, Ana saiu para a horta e quando voltou a casa, reparou que a sua porta estava aberta e ela sabia que a tinha deixado fechada. Depois ouviu a cadela a tossir e foi ver o que se tinha passado. A cadela estava engasgada com algo e cuspiu o que tinha na garganta. Ana ficou aterrorizada. Eram dois dedos humanos! E alguém estava dentro de casa.

Ana agarrou na sua maior faca e seguiu o rasto de sangue que ia ter ao seu armário e quando o abriu, viu um fugitivo da prisão sem dois dedos. O homem desmaiou com tanta dor, e Ana resolveu tratá-lo.

Um dia, a guarda foi a casa da Ana para saber se tinha visto um homem a fugir da prisão. Ana mentiu e os guardas  acreditaram. Então, Ana começou a afeiçoar-se ao pobre homem, que não fazia mal a ninguém, era idoso e gostava de a acompanhar para fazer as tarefas na horta e à burra.

Uma noite, a cadela veio aflita bater à porta de casa e Ana e o homem foram ver o que se passava. A burra velha estava a morrer. A dona ficou muito triste e resolveu ir deitar-se. Mas de manhã, Ana viu a burra outra vez bem e mais nova do que era antes. E de repente, Ana e o homem também começaram a rejuvenescer.

Foi mesmo uma história muito bonita! Mas não posso contar as outras, por isso têm mesmo de ler! Vão adorar!

João Jesus escritor

Mais sobre nós

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

João Jesus

Chamo-me João Jesus. Sou escritor e blogger! Sou português e habito num concelho do distrito de Vila Real! A leitura, a escrita e o filme são as minhas grandes paixões.

letrasaventureiras@sapo.pt

Luís Jesus

Chamo-me Luís Jesus. Sou ilustrador e blogger. Adoro ilustração e tecnologia. Apesar de ser ainda novo, o meu sonho é licenciar-me em engenharia informática e visitar países como a Austrália, Singapura, China e EUA.

letrasaventureiras@sapo.pt

Direitos de Autor

Plágio é CRIME! Não me importo que utilizem os meus textos desde que os identifiquem com o nome pelo qual os escrevo ou o link do blogue. As fotografias que utilizo são retiradas da internet, no entanto, se houver alguma fotografia com direitos de autor: estes não serão esquecidos. Obrigada!

Autora do Banner

DESIGNED BY JOANA ISABEL