Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Letras Aventureiras | Por João e Luís Jesus

De João Jesus e Luís Jesus, nomeados os mais jovens escritores portugueses em 2016.

07
Dez16

"Um Desejo de Natal" - Ana Ribeiro

João Jesus e Luís Jesus

pedido-de-natal

(Numa das avenidas mais movimentadas da cidade, Chico: um pequeno rapaz de apenas onze anos, observava com atenção todo aquele frenesim e a incessante movimentação das pessoas. As lojas estavam cheias de gente e a multidão passava por ele a passos largos, vestida com os mais quentes agasalhos e carregada de sacos e embrulhos. As conversas circulavam apressadamente e roubavam gargalhadas e sorrisos a quem passava. Respirava-se felicidade. Chico ouvia com atenção os mais diversos fragmentos que se cruzavam com a sua pequena e franzina figura, já havia quem discutisse os detalhes do jantar da Consoada e o almoço do dia de Natal. Pairava no ar a ânsia e o forte desejo de dali a poucos dias a família poder juntar-se toda à mesa).

MARTA

(Que circula descontraidamente, na companhia da mãe, pelo meio da multidão. Vê Chico e decide parar para reflectir)

O Natal é mesmo uma utopia. Não achas, mãe?

MARIA JOÃO

(Olha para Marta, de ar pensativo e mostra-se estupefacta com a afirmação dela)

Porque dizes isso?

MARTA

De ar introspectivo, conclui)

Enquanto a maioria das pessoas se foca nas decorações natalícias e na compra de presentes, outras pessoas: como este pequeno miúdo, olham para o Natal como mais uma forma de tentar sobreviver.

MARIA JOÃO

Nunca ninguém disse que a vida é justa para todos. Infelizmente, esta época só serve para mostrar, que na sociedade em que vivemos não somos (nem nunca seremos) todos iguais.

MARTA

(Pega na carteira que traz ao ombro, abre-a, tira o porta-moedas e coloca uma moeda de um euro no chapéu de Chico)

Isso é bem verdade!

CHICO

Obrigado! Feliz Natal!

MARTA

(comovida, retribui as felicitações)

Feliz Natal!

(Marta e Maria João continuam a conversar e a passear, até entrarem numa loja, escassos metros mais à frente. E de repente, a euforia da multidão adensa-se com o súbito aparecimento do Pai-Natal, as crianças desatam a correr aos gritos e Chico sobe a um banco para tentar descobrir o que está a deixar as pessoas tão efusivas. O senhor Manel, que vende castanhas assadas ali naquela avenida, também decide aproximar-se daquele reboliço para ver o que se passa).

SENHOR JOÃO

(espicaçado pela curiosidade)

O que há, Chico?

CHICO

Parece que é o Pai-Natal…

SENHOR JOÃO

Não me digas que… Veio mais cedo este ano?

CHICO

Parece que sim!

SENHOR JOÃO

Será que o velhote gosta de castanhas assadas?

CHICO

(Que não contém uma leve gargalhada)

Acho que sim, a avaliar pela barriga cheia.

SENHOR JOÃO

Lá vem ele! Acho que vais ter sorte!

CHICO

O meu Natal, felizmente, chegou mais cedo. Já tenho uns trocos no chapéu para uma tigela de sopa quente.

(Minutos depois, o Pai-Natal vê Chico e decide parar junto dele. Aquela era uma imagem pouco convencional de um Natal feliz. Tirou o saco vermelho que trazia ao ombro e pousou-o no chão)

PAI-NATAL

HO HO HO! Feliz-Natal, meu rapaz!

CHICO

(Dá um aperto de mão ao Pai-Natal e retribui as felicitações sorrindo)

Feliz Natal!

PAI-NATAL

(Senta-se no banco de pedra, encarnando perfeitamente bem o papel de velhote cansado pelo avançar da idade e pela dura profissão e a multidão aproxima-se…)

Vem cá! Vem sentar-te aqui ao meu colo!

CHICO

(Aproxima-se e senta-se)

Já recebeu muitos pedidos de presentes?

PAI-NATAL

Imensos! Não têm parado de chegar! A caixa do correio da casa do Pai-Natal, na Lapónia, está a rebentar pelas costuras. E tu o que pediste de presente? Conta-me ao ouvido…

CHICO

(mostra-se pensativo e algo comprometido)

Não é preciso ser segredo. Afinal de contas não é nada de mais… Apenas quero ser feliz!

PAI-NATAL

(sem saber o que dizer, acabou por deixar-se levar pela comoção)

Mas não há mesmo nenhum brinquedo que gostasses assim muito de ter? Afinal de contas, todos os meninos pedem um brinquedo especial ao Pai-Natal.

CHICO

A felicidade não se encontra nos presentes, mas sim, nas pequenas coisas; por isso, eu  não peço brinquedos.

PAI-NATAL

Então… Qual é o teu maior desejo de Natal?

Ana Ribeiro, escritora e blogger do blog "Escreviver"

Mais sobre nós

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

João Jesus

Chamo-me João Jesus. Sou escritor e blogger! Sou português e habito num concelho do distrito de Vila Real! A leitura, a escrita e o filme são as minhas grandes paixões.

letrasaventureiras@sapo.pt

Luís Jesus

Chamo-me Luís Jesus. Sou ilustrador e blogger. Adoro ilustração e tecnologia. Apesar de ser ainda novo, o meu sonho é licenciar-me em engenharia informática e visitar países como a Austrália, Singapura, China e EUA.

letrasaventureiras@sapo.pt

Direitos de Autor

Plágio é CRIME! Não me importo que utilizem os meus textos desde que os identifiquem com o nome pelo qual os escrevo ou o link do blogue. As fotografias que utilizo são retiradas da internet, no entanto, se houver alguma fotografia com direitos de autor: estes não serão esquecidos. Obrigada!

Autora do Banner

DESIGNED BY JOANA ISABEL